Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Projeto de lei propõe Semana de prevenção e combate à depressão pós-parto

Publicado em 25/06/2020 às 14:38 - Atualizado em 25/06/2020 às 15:13

Na última sessão ordinária, 23, o vereador Adilson Sabatke apresentou o projeto de lei Nº 03/2020 que institui a “Semana de prevenção e combate à depressão pós-parto” em Mafra.

O projeto visa ações de diagnóstico e tratamento da depressão pós-parto na rede pública de saúde.  Esta doença afeta o humor da pessoa, no qual predomina a tristeza e se manifesta nos primeiros seis meses após o parto.

Segundo o autor do projeto, vereador Adilson Sabatke, as ações deverão atender as gestantes atendidas no município que tiveram partos em unidade pública de saúde, inclusive em unidade mantida por entidades filantrópicas que recebem verbas do município.

Os objetivos do projeto de lei são: detectar a doença ou evidências de que ela possa vir a ocorrer, visando prevenir seu aparecimento; efetuar pesquisas visando ao diagnóstico precoce da depressão pós-parto; evitar ou diminuir as graves complicações para a mulher decorrente do desconhecimento do fato de ser portadora da depressão pós-parto; aglutinar ações e esforços tendentes a maximizar seus efeitos benéficos. Além disto, também visa identificação, cadastramento e acompanhamento de mulheres portadoras de depressão pós-parto; conscientização de pacientes e de pessoas que desenvolvam atividades junto às unidades de saúde municipais quanto aos sintomas e à gravidade da doença;I - abordagem do tema, quando da realização de reuniões, como forma de disseminar as informações a respeito da doença.

A semana de conscientização deverá ser comemorada anualmente na semana do dia 28 de maio, Dia Internacional de Ação pela Saúde da Mulher.  Segundo o vereador Adilson, a depressão pós-parto está se tornando cada vez mais comum entre as mulheres que acabaram de dar à luz. Infelizmente, o Ministério da Saúde não tem estimativas sobre a doença, mas trabalha com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS): entre 60% e 80% das mulheres apresentam alterações emocionais após o parto.

- A proposição busca diminuir o sofrimento na gestação da mulher que sofre mudanças física, emocional e hormonal.Para muitas mulheres, esses sentimentos são passageiros, mas quando não cessam rapidamente ou se agravam podem levar à depressão pós-parto, uma condição séria que acomete 15% das novas mães e, por isso, requer tratamento médico imediato, sendo comprovado por estatísticas que essa grave doença vem aumentado com os costumes do novo mundo – explica vereador Adilson Sabatke.

 

Fonte: Câmara Municipal de Mafra